Nossa história

História da AD em Bacabal/MA

No ano de 1932 chegou a Bacabal, procedentes de Engenho Central, atualmente Pindaré Mirim, a irmã Ana Pereira e suas filhas Rosa, Gertrudes e Onesinda Lima, as pioneiras do trabalho do Senhor em Bacabal.

Trazemos à luz deste memorial a história de uma de suas filhas, uma mulher que é um marco referencial na história da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Bacabal-MA. 

Em suas virtudes cristãs acolheu os primeiros sonhos de evangelização desta cidade.

Seu nome é GERTRUDES PEREIRA GOMES. Chegou em Bacabal com seu esposo Luis Gama, no ano de 1932, dezoito anos depois de Bacabal ter conquistado o foro de Distrito. Era professora primária da rede pública municipal e exercia a docência em uma das salas de sua casa. Tinha 32 anos e mesmo com seu cônjuge não crente, cultivava com zelo as virtudes do cristianismo junto a seus onze filhos, embora, naquele momento, estivesse ladeada apenas de quatro filhas: Meluzina, Maria, Virginia e Isabel, esta última ainda presente entre nós. 

Com ela veio também sua mãe, Ana Pereira do Nascimento, com mais de 60 anos, que vivia sob a custódia de suas irmãs mais jovens: Rosa, Onezinda (conhecida também por Moreninha) e seu irmão Evaristo, que não era crente. A Ir. Gertrudes residia no bairro Juçaral, um importante centro comercial de Bacabal, porém longe do centro da cidade, segundo os historiadores Orlando Alencar e Raimundo Sergio de Oliveira. Ela fez de sua residência a primeira congregação evangélica assembleiana de Bacabal, tendo como assistentes suas filhas ainda crianças, suas irmãs e a idosa mãe.

Embora nunca negligenciasse seus deveres domésticos, organizou sua família de forma a se reunirem para o culto doméstico e os trabalhos congregacionais nas noites de domingo, quarta e sexta-feira, dirigidos pela irmã Rosa Parma, pioneira na organização dos trabalhos de oração e do ensino da Palavra de Deus na Escola Bíblica Dominical. Segundo relato da Ir. Isabel Gama, passaram a se congregar com elas outras famílias como a dos irmãos Firmo Vieira, Eusébio e das irmãs Mariquinha e Ir.Nair Parga.

No mesmo ano também chegava da cidade de Rosário o irmão João Gregório, um crente batista a qual Jesus Cristo batizou com o Espírito Santo, fazendo-o unir-se às irmãs pentecostais. Os recém chegados a Bacabal eram visitados pelo pastor da Assembléia de Deus em Vertente-MA e, em uma visita do evangelista João Jonas, foi consagrado a presbítero o irmão João Gregório que, impedido por uma enfermidade, não exerceu a função, sendo substituído pelo irmão Vicente Rodrigues, que dirigia o trabalho do Senhor.

As pérolas cultivadas no seio do lar desta mulher evangélica frutificou. E frutificou de tal forma que formou a Igreja que temos, com vários corações transformados que vivem sob a égide de Jesus Cristo. 

Foram tímidas vozes que ecoaram no silêncio das noites caboclas de Bacabal com uma mensagem evangelística, mas sua ousadia quebrou hostes espirituais do mal e, no seu louvor, construíram um altar de adoração a Deus, um espaço santo firmado em Jesus Cristo, que se tornou berço da Assembléia de Deus em Bacabal e portal de acesso às verdades celestiais. 

Como se estivesse enxergando a Igreja de hoje, a Ir. Gertrudes não deixou morrer os hábitos e costumes bíblicos conquistados na cruz do Calvário e, crendo nisso, abrigou em seu lar pastores pioneiros que por aqui passavam, dentre eles o Pr. João Jonas e o Pr. Moisés Garcia. De tempos em tempos passavam por Bacabal montando em uma burrinha para celebrar a ceia do Senhor, pregar a Palavra de Deus e ensinar lições bíblicas na Escola Dominical. 

A família da Ir. Gertrudes ofereceu um singular incentivo ao primeiro pastor que fixou residência em Bacabal – o Pr. Francisco Assis Gomes, em 1937. Como mulher evangélica exerceu tríplice função:
* adjuntora (assistia com amor sua família e a família de Cristo);
* intercessora (colocava diante de Deus as necessidades de seus entes queridos e da Igreja de Cristo);
* mantenedora (se sentia responsável pelo bem estar de sua família e da Igreja de Cristo).

Nos seus deveres de mulher evangélica fez crescer sua casa e a casa de Deus nesta cidade. Foi uma mulher cristã a serviço do mestre Jesus Cristo, ofertou a Deus sua casa, seus filhos, sua família. Uma oferta pequena aos olhos humanos – como a oferta da viúva pobre – mas exemplar na ótica divina, digna de estar no memorial de Deus e desta Igreja.

Ela realizou o projeto que Deus tinha para sua vida e Deus a honrou integrando sua história à história da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Bacabal-MA.

A Ir. Gertrudes passou para o Senhor em 1992, mas sua referência como mulher e evangélica mostram à nossa geração que mesmo em situações adversas – com o pouco que dispomos – é possível cumprir o especial e ousado projeto que Deus tem para cada um de nós.

Graças a Deus que ela perseverou em Cristo. Graças a Deus que ela não desistiu de Jesus, nem da Igreja, nem de seus filhos, nem dos costumes e virtudes cristãs. Com ela surgiu um povo que em sete décadas tem aberto o entendimento humano com a Palavra de Deus e tem quebrado as portas do legalismo, um pseudo-cristianismo que tem levado muitos, a passos largos, para o inferno.

A responsabilidade de ensinar a futura geração agora é nossa!

A Igreja está se formando dentro de nossa casa, no dia-a-dia, e é de nós que deve vir o exemplo de boas virtudes. Seja fiel a Deus e, como mulher evangélica, ensine o caminho, a verdade e a vida que está em Cristo Jesus. Amém!